Confira

Confira a lista completa de agências

Saiba por que contratar uma agência associada é a solução mais adequada do mercado.

  • Punto Comunicação Multimeios
  • Dainet
  • Futurelab
  • SEO Marketing
  • e/ou
  • Conteúdo Online
  • Carranca
  • Agência Pulso
  • AD.Dialeto
  • Agência Orange Five – AO5
  • Conversion
  • Capuccino Digital
  • Digital Industry

O iPhone é ilegal!




O iPhone é ilegal!

Os leitores deste artigo provavelmente se dividem em dois grupos: os que já têm um iPhone e os que estão loucos para ter um iPhone. Recentemente, graças ao Deus Pai Todo-Poderoso e mais uns US$ 399,00 eu pulei do segundo para o primeiro grupo.  
O iPhone é uma invenção do capeta, ou melhor, da Apple, o que para mim dá quase no mesmo. 

O top gadget do século XXI dispensaria apresentações, mas digamos que tecnicamente o iPhone é um pequeno Multimedia Center com mobilidade. Psicologicamente ele é muito mais, é o brinquedo com o qual sonhamos desde o final da primeira infância. 

Lúdico, interativo e com uma interface multi-touch, o iPhone abusa da máxima de usar a tecnologia para facilitar as nossas vidas e ainda, como quase todo produto  Apple, é uma obra-prima de design, simplicidade e sofisticação.

O chato é que tem um monte de gente dizendo por aí que o iPhone é ilegal!

Eu, por exemplo, justo no inesquecível dia do “unlock” do meu iPhone, semanas atrás, abri o jornal Zero Hora (sim, isso mesmo, eu ainda leio jornal em papel) de Porto Alegre e encontro lá a seguinte matéria:

“iPhone, um sucesso ilegal no Brasil…”

PQP, pode o brinquedo mais legal do mundo ser ilegal justamente no Brasil?

Sei lá, mas a julgar pela matéria do jornal Zero Hora, sim. Quando a matéria tenta explicar as várias faces da comercialização de iPhones no Brasil ela “sentencia” que como o aparelho só funciona em alguma operadora nacional se houver o desbloqueio, que hoje não é autorizado, o ato de usar um iPhone fere a Lei do Software, de 1998! Portanto, é ilegal e os “usuários” podem ser condenados a até dois anos de prisão! Anhhhhh!?!?

Quer dizer que qualquer um de nós que comprou um iPhone e que, se aproveitando dos ensinamentos das comunidades de geeks e hackers interessados em quebrar o monopólio que vem sendo construído pela Apple e AT&T (por sinal, no melhor estilo Microsoft), desbloqueou (pagando ou não pelo serviço) o seu iPhone  pode ser preso por até dois anos?

Bom, à luz da “moderna” legislação brasileira, talvez.

Nos EUA, diferentemente do Brasil, existe uma legislação específica para a questão do direito autoral e da quebra de tecnologia de proteção contra a cópia, conhecida como Digital Millennium Copyright Act (DMCA). Segundo os legisladores americanos, descobrir um método para destravar o iPhone por conta própria não caracteriza uma violação ao DMCA. Vender um código, ou mesmo fornecer de graça, pode ter conseqüências.

No Brasil, essa questão foi bem debatida em algumas publicações e fóruns na internet e ainda não há juízo sobre esse tema; particularmente não acredito numa ação do Governo Lula, através do Ministério Público e da Polícia Federal, contra os perigosos usuários de iPhones desbloqueados! 

Pelo sim, pelo não: publicitários e early adopters do Brasil, cuidado!

Num país seqüelado pela reserva de informática dos anos 80, com milhões de “gatos” em postes de energia elétrica e centenas de milhares de residências com TVs a cabo “pirata”, é difícil imaginar que perderíamos tempo com os usuários de iPhone. Mas quem duvida?

Ok, de qualquer forma, no meu caso, para poupar as autoridades de um longo processo que custaria muito ao Estado, aproveito o ensejo para me confessar um usuário recente e “addicted”, mas adianto que jamais vendi ou trafiquei  o meu conhecimento  sobre o desbloqueio (até porque é só digitar “iphone unlock” no Google).  Aproveito ainda para avisar que tenho curso superior e, conseqüentemente, direito a cela especial.

À minha família, peço apenas que me perdoem e que, por favor, cuidem bem do meu iPhone…

Cesar Paz




X